Fisica Quântica e a Bioenergia

Utilizamos constantemente os termos Energia, Magnetismo, Ondas, Vibração, Matéria. Porém, o que é efetivamente cada coisa dessas? Qual o relacionamento entre a Mente e esses elementos? O que é a Mente?

Então, vamos estudar estes e outros assuntos, mesclando as visões da Física Tradicional, as teorias da Física Quântica (moderna) e as informações advindas do conhecimento ocultista e espiritualista.

Fluído Universal
É sabido que existe um agente universal, uma malha que permeia a tudo e a todos. Este agente, chamado pelos espíritas de Fluído Universal, pelos orientais de Prana, Ki, Chi, dentre outros, e nele estão contidas as partículas primárias que formam tudo o que existe. Estas partículas são chamadas, em física quântica, de quantum, ou no português, quanta.

Quantum
Até o momento é a menor partícula mensurável pela ciência. Por conceito é uma quantidade indivisível de energia (pacote) que é absorvida ou emitida por partículas maiores, cujo valor é dado pela expressão E = h.f, onde f corresponde à frequência específica do quantum em questão, e h corresponde à constante de Planck (6,62.10-34 J/s). No caso de emissão, com frequência dentro do espectro visível, este quantum de energia é chamado de fóton.

Onda Vibratória
Nada é estático no Universo, portanto, tudo vibra (movimento). A vibração do ar gera o vento. A vibração da água gera a onda do mar. Enfim, a vibração de algo gera automaticamente Ondas Vibratórias que por si carregam (transportam) Energias correspondentes ao causador. As ondas têm diferentes formas, comprimentos e frequências.
O terceiro princípio hermético é justamente o da Vibração, no qual é expresso um conceito que a ciência moderna pôde constatar. Os objetos materiais, os sons, as cores, as microondas, etc, todos são exatamente a mesma coisa: energia! Porém, todas estão em níveis vibratórios diferentes.
Vamos esclarecer, pois, esse conceito é uma chave fundamental para entendermos os fenômenos espirituais e bioenergéticos de um ponto de vista científico.
Os ouvidos humanos captam sons, como por exemplo, as notas de uma música. Esses sons são ondas vibratórias que estão entre 20Hz e 20.000Hz (1 Hertz é igual a 1 ciclo por segundo). Assim, tudo o que vibra nesta faixa será captado por nossos ouvidos, levado ao cérebro e interpretado como sons, tons e timbres. Acima da freqüência de 20.000Hz o cérebro pára de interpretar como sons e temos a sensação de não ouvirmos nada, mas as vibrações continuam ao nosso redor. Ondas vibratórias com freqüência a partir de 4,3 x 1014 Hz são captadas pelos olhos humanos. Veja que são as mesmas ondas vibratórias anteriores, porém com freqüência bem mais elevada, que quando enviadas ao cérebro, são interpretadas como a cor vermelha, a primeira visível. Elevando-se a frequência, passaremos pelas cores laranja, amarela, verde, azul (em seus diversos tons) e ao atingir a frequência de 7,5 x 1014 Hz, temos a cor violeta, a última visível. Acima disso temos o Ultra-violeta, os raios X, os raios gama e depois não temos instrumentos que consigam aferir.
Outra constatação importante que deve ser gravada para posteriores reflexões é que quanto menor for a frequência, menor será a capacidade de transporte energético de uma onda vibratória e vice-versa.
Apesar de não podermos medir, é conhecido que existem freqüências de ondas vibratórias acima desta escala exposta, e é aí que adentramos no campo de estudos aos quais se baseiam as explicações sobre as ações mentais e espirituais, com constatações interessantes estudadas pela radiestesia.

Ressonância Vibratória
Outro ponto importante para compreendermos os fenômenos energético-espirituais está no entendimento sobre o fenômeno da ressonância.
Tomando por base as explicações anteriores, particularmente os sons, é conhecido que as notas musicais são Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si, porém, o que vêm depois do Si? O Dó novamente. Mas é o mesmo Dó anterior? Sim e não! Ele é um Dó, porém, está uma oitava (oito tons) acima do primeiro, o que lhe confere uma característica mais aguda. Assim, se fizermos o movimento inverso descendo uma oitava, também teremos uma nota Dó, sendo esta mais grave que a primeira referida. Em um piano, a nota Lá que está no meio do teclado emite uma freqüência de 440Hz. O Lá uma oitava acima emite uma freqüência de 880Hz e o Lá uma oitava abaixo emite 220Hz. Todas são tons de Lá, mas, em freqüências diferentes, que são ressonantes entre si. Você gostaria de fazer uma experiência simples para comprovar isso?
Consiga um violão afinado corretamente em tom de Mi maior. Prenda com qualquer dedo a 5ª corda (contando debaixo para cima) na 7ª casa (da esquerda para a direita). Toque uma vez essa corda e em seguida toque solta a 6ª corda (a mais grossa e imediatamente acima). Perceba que os sons são diferentes, pois a primeira é mais aguda em relação à 6ª corda solta, porém, ambas são a mesma nota Mi, distanciadas uma oitava uma da outra. Bem, agora, mantendo a posição inicial descrita, toque uma vez com força a 6ª corda solta, sem encostar-se à 5ª corda presa, e perceba o que acontece. Se o violão estiver bem afinado, a 5ª corda passará a vibrar sem que você tenha encostado nela. Além desta, a 1ª corda (a mais fina) solta também deverá vibrar, com menor intensidade, mas o suficiente para ser visualizado o fenômeno. A saber, a 1ª corda solta emite uma nota Mi duas oitavas acima do Mi da 6ª corda solta.
A ressonância se dá quando dois corpos (ou duas causas) vibram na mesma freqüência ou vibram em duas freqüências harmônicas, como por exemplo, 220Hz e 440Hz, ou seja, em oitavas.
Nos fenômenos espirituais e energéticos se dá o mesmo. Por exemplo, quando através da clarividência vemos um raio verde, não significa que aquele raio seja realmente verde, mas sim, através de uma conversão mental feita automaticamente, traduz-se aquela freqüência para oitavas abaixo, resultando no conhecido verde. O que realmente significa é que aquela freqüência é uma harmônica ressonante do que o nosso cérebro interpreta e aceita como verde. Assim, a máxima expressa por Hermes Trismergistro “o que está em cima é igual ao que está embaixo” é mais atual que nunca.
Os fenômenos da intuição, da telepatia, da incorporação, são explicáveis pelo conceito de ressonância vibratória. É comum dizermos que vamos sintonizar nosso mentor. Ora, isso é correto e nada mais é que colocar-se em uma condição vibratória (manifestada pelo íntimo do ser) que seja harmônica, ou seja, algumas oitavas abaixo, em relação à frequência do espírito comunicante, que por sua vez também poderá variar sua freqüência a fim de auxiliar o contato. Uma vez a conexão estabelecida, cria-se um ou vários canais de comunicação que variam da transmissão de idéias até o controle dos centros motores do médium por parte do espírito. Uma oração direcionada a um determinado ser também segue o mesmo princípio, para que seja criada uma ponte, a partir de onde fluirão as energias solicitadas.
Muito já foi falado sobre os condensadores fluídicos como as velas, os incensos, os pantáculos, etc. A função de um elemento físico, como por exemplo, uma vela vermelha, é a de estabelecer uma ligação com determinado poder que tem freqüência ressonante ao elemento ígneo e à cor vermelha. A partir do momento em que é estabelecida a conexão, passam a fluir através desta ponte, energias sutis que vão se densificando (diminuindo a freqüência), numa espécie de transformação de voltagem, adequando-se às vibrações do mundo material, para então fluírem ao objetivo determinado pelo terapeuta em seu trabalho.

Energia
De um modo geral a energia pode ser definida como a capacidade de realizar trabalho ou como o resultado da realização de um trabalho. Então, sempre junto à energia, temos uma força, que colocada em ação, torna-se energia, ação ou resultado.

Albert Einstein desenvolveu a Teoria da Relatividade, sendo um de seus postulados a seguinte expressão matemática:

E = m.c2, ou seja, (E) Energia é igual à (m) massa (matéria), multiplicado pelo quadrado da (c) velocidade da luz, logo (m = E/c2) matéria é igual à Energia, dividida pelo quadrado da velocidade da luz. Assim foi possível concluir que matéria e energia são a mesma coisa, diferenciando-se apenas por sua velocidade de propagação no espaço.

Força
Do ponto de vista da física quântica, a força é o agente atuante, sendo que a resultante desta atuação provoca algum efeito, em termos de energia. Em outros termos, quando A Força é aplicada (causa), gera-se Energia (efeito). Se a Força atuar na velocidade, temos a Energia Cinética. Se uma força sustentar um objeto elevando-o do solo, temos a Energia Potencial (em função também da Gravidade). Se uma força atuar na molécula, temos Energia Molecular. Se atuar no átomo, Energia atômica. Se atuar na Mente, Energia Mental.

Campo
É definido como sendo uma região do espaço que sofre a influência de alguma coisa. Por exemplo, o Campo Gravitacional é o espaço que sofre atração de um planeta ou corpo celeste. Campo Elétrico é o espaço que sofre influência de uma carga elétrica. O Campo Magnético é o espaço que sofre a ação de um imã (atratora ou repelente).

Campo Eletromagnético –A carga elétrica em repouso gera um Campo Elétrico, porém em movimento, gera também um Campo Magnético por consequência. Todos os átomos são formados pelo núcleo e pela eletrosfera, sendo esta formada por elétrons que se movem em torno do núcleo. Logo, o corpo físico humano, que é formado por átomos, contém cargas elétricas em movimento (elétrons), gerando campos elétricos e magnéticos, assim, formando ao redor do corpo um Campo Eletromagnético.

Campo Mental – Similar ao que foi exposto anteriormente, o pensamento é formado pela matéria mental, que por sua vez também vibra, formando o Campo Mental.

Desta maneira, é formado em torno de todo Ser Humano um campo misto, denominado de Campo Mento-Eletromagnético e a isso também dá-se o nome de Aura.

A Aura é o filtro natural que separa, sem distinção, as energias vitais e psíquicas internas das externas, ou seja, uma energia diferente da sua não lhe atinge diretamente, mas sim, fica impregnada ao redor da Aura e somente adentra caso haja uma mudança interior que vibre na mesma freqüência que a externa. Em outras palavras a Aura é o próprio Campo de Proteção de um ser.

Ritual
Todo ser humano faz rituais a todo momento. Os rituais servem para evocar determinadas energias psíquicas, que normalmente não estão à disposição do consciente e para estimular o poder da vontade, facilitando os comandos mentais.

 

Atuação no Fluído Universal
Demos as definições acima, para que pudéssemos compreender o que fazemos na prática.

A Força Mento-Eletromagnética, orientada pela Vontade (Comando Mental), atua nas partículas do Fluído Universal, alterando vibrações, criando campos cósmicos, produzindo cores, produzindo alimentos, reconstituindo partes de corpos espirituais, etc. Quando projetamos tal energia, imantamos o objeto (físico ou sutil), transmutando seu campo magnético (imã), assim, alterando sua vibração e por fim, pela ressonância, atraindo para ele energias cósmicas semelhantes.

Por exemplo:

Quando uma pessoa está com um “chakra desalinhado”, na verdade, ele está vibrando em uma faixa diferente da correta para si e, por ela ser um portal entre as energias internas e externas, atrai mais energias desarmônicas, aumentando a intensidade da desarmonia. Então, projetamos cores (ou outro tipo de elementos) naquele chakra, com o fim de alterar sua vibração e passar a receber energias sintonizadas à nova imantação.

Antes tínhamos uma desarmonia energética (doença) e agora temos o reequilíbrio energético (cura).

Grande Abraço,

Até a próxima!

3 comentários em “Fisica Quântica e a Bioenergia

  1. Muito bem explicado e exemplificado! Interessante do texto fui a retirada do “fantástico”, mostrando que tudo no universo é natural. Parabéns pelo trabalho!

Deixe uma resposta

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.